INSS divulga novas alíquotas de contribuição

O governo brasileiro aprovou a Reforma da Previdência que entrou em vigor no dia 13 de novembro deste ano. Com isso, os brasileiros precisam ficar atentos às novas regras principalmente relacionadas à alíquota de contribuição que já foram divulgada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

INSS divulga novas alíquotas de contribuição
INSS divulga novas alíquotas de contribuição

Pelas novas regras as alíquotas serão cobradas de forma parecida com o cálculo que é feito no Imposto de Renda (IR), de forma progressiva. Partindo dessa ideia, aqueles que recebem mais terão que contribuir em quantia maior com a Previdência.

Leia também: Novo prazo sobre pedidos do INSS é definido; veja como ficou

As alíquotas do INSS representam o quanto será descontado mensalmente do salário bruto do trabalhador para contribuição ao Instituto. Essa quantia também define o valor final a ser recebido na aposentadoria.

Novas alíquotas de contribuição ao INSS

Para o Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

  • Até um salário mínimo: 7,5%
  • Entre um salário mínimo e R$ 2 mil: 9%
  • Entre R$ 2 mil e R$ 3 mil: 12%
  • Entre R$ 3 mil e o teto do RGPS: 14%

Para servidores públicos federais no Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) da União

  • Até um salário mínimo: 7,5%
  • Entre um salário mínimo e R$ 2 mil: 9%
  • Entre R$ 2 mil e R$ 3 mil: 12%
  • Entre R$ 3 mil e o teto do RGPS: 14%
  • Entre o teto do RGPS e R$ 10 mil: 14,5%
  • Entre R$ 10 mil e R$ 20 mil: 16,5%
  • Entre R$ 20 mil e o teto constitucional: 19%
  • Acima do teto constitucional: 22%

Esses novos valores de contribuição começarão a ser cobrados a partir de março do próximo ano. 

O acúmulo de benefício também sofreu alteração. Nos casos que o beneficiário tiver direito de acumular dois salários. O maior salário será pago 100% do seu valor mais um percentual da soma dos demais. 

O percentual a ser pago varia de acordo com o valor do benefício que será pago pelo INSS. Veja como será feito o pagamento seguindo as novas regras:

  • 100% do valor até um salário mínimo; 
  • 60% do valor que estiver entre um e dois salários mínimos; 
  • 40% do que estiver entre dois e três salários; 
  • 20% entre três e quatro salários mínimos; 
  • 10% do que ultrapassar quatro salários mínimos

Apesar disso, a regra de acúmulo de benefícios não é válida para aqueles que já fazem isso. A regra será apenas para os futuros acúmulos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.