13° salário dos servidores públicos do Rio é bloqueado

A cidade do Rio de Janeiro vem passando por uma situação de crise financeira muito grande. E afetou o 13° salário dos servidores públicos que foi bloqueado, tudo isso, às vésperas das festas de final de ano. 

13º salário dos servidores públicos do Rio é bloqueado
13º salário dos servidores públicos do Rio é bloqueado
publicidade

Ontem, a prefeitura já havia anunciado a suspensão de todos os pagamentos e de todas as movimentações financeiras do município para que as contas pudessem ser equilibradas. Foram suspensas as atividades do Tesouro Nacional também no início da semana.

Nesta terça, o secretário municipal de Fazenda, Cesar Barbiero, concedeu entrevista ao jornal o Globo e afirmou o bloqueio no pagamento da segunda parcela do 13° dos funcionários públicos do município, que estava previsto para ser pago no dia 17 de dezembro.

Saiba também: 13° salário dos funcionários públicos e FGTS: resumo com principais liberações desta semana

Segundo o secretário ainda não há uma data para regularizar os créditos nas contas, porém, ele disse esperar que seja em breve.

“O objetivo é arrumar as contas. Com isso, os pagamentos da segunda parcela do 13º salário de servidores e de fornecedores estão suspensos. Espero retomar tudo assim que possível”, disse o secretário.

Os funcionários da rede municipal estão sem receber os seus salários desde o mês de outubro, muitos deles são da área da saúde e decidiram entrar em greve até que sejam realizados os pagamentos.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT), determinou que fossem bloqueadas mais de R$300 milhões das contas da prefeitura para pagar os salários atrasados. Porém, nas contas do município foram encontrados apenas R$92 milhões.

Com pouco dinheiro disponível, o vice-presidente do TRT, César Marques Carvalho determinou que seja realizada uma transferência imediata de R$76 milhões para as organizações responsáveis pelos hospitais com situação mais crítica no município.

Em nota, a Secretaria informou ainda “que os valores a serem arrestados para as OSs representam apenas 1% do Orçamento municipal. Além disso, a Prefeitura vem realizando ações para aumento de receitas como o Programa Concilia Rio, que permite a renegociação de débitos tributários inscritos ou não em dívida ativa, e envidando esforços na área Patrimonial com a venda de imóveis, entre outros”.

O prefeito do município, Marcelo Crivella, solicitou a ajuda do governo federal. Com isso, o Ministério da Saúde irá realizar um repasse de R$152 milhões, porém o dinheiro chegará ao município em duas parcelas. 

A primeira será paga hoje (18), num valor de R$76 milhões. Já o restante será recebido na segunda parcela, que está prevista para ser paga no dia 15 de janeiro do próximo ano.

 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.