ANÚNCIO

Mais de 700 mil brasileiros em estado de inadimplência com o Imposto de Renda (IR). Na terça-feira (9), a Receita Federal informou que 700.221 mil contribuintes caíram na malha fina do IR. Segundo o órgão, a quantidade corresponde a 2,13% do total de 32.931.145 declarações enviadas neste ano. A consulta do último lote foi liberada e aqueles que não estiverem presentes precisarão prestar conta.

Milhares de contribuintes caíram na malha fina IR; veja como evitar
Milhares de contribuintes caíram na malha fina IR; veja como evitar
ANÚNCIO

Para rever o processo é preciso entrar em contato com a Receita Federal e revisar as contribuições prestadas. Segundo o último balanço liberado, este ano os principais motivos da malha fina foram:

  • Omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes (35,6% de ocorrência);
  • Despesas médicas: (25,1%);
  • Divergências entre o IRRF informado na declaração e o informado em DIRF (23,5%);
  • Dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras (12,5%).

Veja também: Liberada a consulta ao último lote da restituição do Imposto de Renda

Ao cair na malha fina do IR, o contribuinte fica impossibilitado de receber sua rescisão. O pagamento só será autorizado após a resolução do caso e para isso é necessário que toda a renda recebida e paga ao longo do ano esteja de acordo com os registros da Receita.

O valor da devolução varia de acordo com a contribuição prestada e não obrigatoriamente é liberado para todos.

Segundo a Receita de todos os que caíram na malha fina, 74,9% têm imposto a restituir, 22,4% têm imposto a pagar e 2,7% têm saldo zero. Para rever o tributo é preciso acessar o serviço ‘Consulta Restituições IRPF’, no site da Receita Federal.

Por meio dele, ao fornecer os dados pessoais (CPF, data de nascimento e exercício correspondente à declaração que deseja pesquisar) o contribuinte receberá o código de verificação permitindo a consulta.

Na sequência, basta conferir se a declaração foi aprovada ou não. Se o sistema informar que está sendo  ‘processada em fila de restituição’, significa que a restituição cará na conta em breve.

Entretanto, se acusar que a declaração consta na base de dados da Receita Federal, o contribuinte deve ter caído na malha fina do IR.

Para saber o motivo pelo qual o tributo não foi contabilizado, basta acessar o extrato do processamento da declaração, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC).

Maria Eduarda Andrade, mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.