Hoje (3), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou o valor do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre deste ano, em comparação com o trimestre anterior .O valor do PIB é calculado na soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

IBGE publica hoje (3) resultado do PIB do 3º trimestre; confira expectativas
IBGE publica hoje (3) resultado do PIB do 3º trimestre; confira expectativas

O anúncio feito pelo IBGE foi no Rio de Janeiro e apontou que o PIB cresceu 0,6%, neste terceiro trimestre. Em relação a comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o PIB cresceu em 1,2%. Para método de comparação o IBGE utiliza os dados do ano anterior, no mesmo período.

Já considerando o PIB deste trimestre com o acumulado nos quatro trimestre de 2019, o crescimento foi de 1,0%, em comparação com os trimestres anteriores deste ano.

Notícia relacionada: Liberação do FGTS cria expectativa de aumento no PIB

No acumulado do ano até o mês de setembro, o PIB cresceu 1,0%, em relação a igual período de 2018.

Em reais, o PIB atingiu R$ 1,842 trilhões no terceiro trimestre de 2019. Desse total, R$1,5 trilhão se refere ao valor adicionado e o restante R$259,7 bilhões são referentes aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

A explicação para o crescimento está ligado ao investimento em setores privados, e ao maior consumo das famílias.

Uma das áreas que mais registrou alta foi a agropecuária com 1,3%, logo depois vem a indústria que subiu em 0,8%.

De acordo com o IBGE, esse crescimento da indústria foi causado pela expansão de 12% no setor extrativo, o destaque foi a boa extração de petróleo do Brasil. 

Já na parte de serviços, a elevação do PIB ficou em 0,4%, em todos os percentuais, comparando com o ano anterior.

A alta nos serviços teve contribuição dos resultados das atividades financeiras. As atividades de seguro e serviço ficaram com 12%, o comércio com 1,1%, informação e comunicação ficaram com os mesmos 1,1%, as atividades imobiliárias 0,3% e as outras atividades de serviço ficaram com alta de 0,1%, em relação ao ano passado.

Apesar do crescimento do PIB e de diversos setores, alguns registraram queda, como é o caso da atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e atividades de gestão de resíduos, que caiu em 0,9%. Houve queda também nas indústrias de transformação de 1%.

As atividades de transporte, armazenagem e correio registraram um recuo de -0,1%. Isso também ocorreu nas atividades de administração, defesa,saúde, educação pública e seguridade social, que teve um recuo de -0,6%.

Jheniffer Freitas é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). É redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças diariamente.