Em Fórum do Estadão Think, realizado em São Paulo, durante essa segunda-feira (02), o diretor de organização do sistema financeiro e de resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello afirmou que a concorrência bancaria reduzirá os custos com as tarifas dos bancos. Segundo ele, a criação dos bancos digitais deve ser vista de forma positiva pelas agências tradicionais.

Diretor do BC afirma que concorrência vai diminuir custos com os bancos
Diretor do BC afirma que concorrência vai diminuir custos com os bancos

Durante o evento, Manuel Pinho se pronunciou sobre surgimento das fintechs, como o Nubank, e alegou que elas estão proporcionando números positivos para o mercado financeiro.

Para ele, não há motivos pelos quais criar uma rixa de competitividade, se todas as marcas trabalhem o comprometimento para com seus clientes. “Sistema financeiro eficiente é aquele que entrega produtos financeiros bons e baratos para pessoas e empresas”, afirmou.

Leia também: Deputados aprovam mudanças na cobrança do ISS pago por empresas

Pinheiro estava no fórum para debater sobre os novos dois sistemas do Banco Central que, segundo ele, modificará diretamente sistema bancário. Trata-se do Open Banking e do Pagamento Instantâneo, ambos ainda em fases de teste pelo BC, mas com o funcionamento previsto já para 2020.

Open banking e pagamento instantâneo

O open banking surge como um conjunto de regras e sistemas que permitirá a troca de informações entre empresas financeiras e consumidores. Por meio dele será possível fornecer dados de modo que otimize e facilite as transições bancárias.

Já o pagamento instantâneo é modalidade de pagamento imediato. Ao quitar uma dívida, o valor deixará de ser registrado no dia seguinte e passará a ser validado em tempo real. A ação funcionará de segunda à sexta-feira.

“Todos os provedores de pagamento poderão se conectar para que isso ocorra”, disse Pinho de Mello.

Para ele, os avanços dos sistemas de pagamento só mostram como o Brasil está conectado com as tecnologias e inovações do mercado. Durante o evento, Mello afirmou que os bancos digitais devem ser utilizados também como um modelo de aperfeiçoamento e que ambos acabam aprendendo uns com os outros.

Antes de encerrar sua fala, alegou estar atento à concorrência do cenário econômico e disse que, no que compete ao Banco Central, permitirá uma disputa limpa entre os mais diferentes participantes de mercado para trazer a melhor oferta de nas tarifas dos bancos.

Eduarda Andrade é graduanda em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). Além de redatora do FDR, atua como estagiária da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado-PE e pesquisadora UNICAP/CNPq com projetos na área de Economia Criativa, Políticas Públicas e Tecnologia da Informação e da Comunicação.