Para facilitar o acesso à casa própria por parte dos brasileiros, a Caixa Econômica Federal anunciou a redução dos juros para o financiamento imobiliário. Agora, a taxa mínima diminuiu de 7,5% para 6,75% ao ano, enquanto a taxa máxima cai de 9,5% para 8,5% ao ano.

Caixa adota novos juros no financiamento imobiliário
Caixa adota novos juros no financiamento imobiliário

As novas taxas, porém, só serão aplicadas em novas operações contratadas. Para as pessoas que já têm o financiamento na Caixa Econômica Federal, os valores irão continuar o mesmo que a época da contratação do serviço, não sendo possível a migração para o crédito mais barato.

Leia mais: Bancos anunciam novas taxas de financiamento na compra da casa própria

Um exemplo é em um financiamento de R$ 500 mil, com prazo de pagamento em 30 anos, tendo agora taxa máxima de 8,5 ao ano o valor do imóvel ficará em R$ 1.115.639,77, comparado com a taxa máxima anterior, que estava em 9,5%, a economia do cliente é de R$ 69.496,19. Pensando agora na taxa mínima, de 6,75% o valor ficará em R$ 992.596,27, tendo redução de R$ 52.957,67.

Esta já é a terceira redução de juros no financiamento imobiliário que a Caixa Econômica Federal anuncia. Com início em junho deste ano, o banco decidiu reduzir em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros para financiamentos pelo SBPE, e garantiu aos clientes alternativas de renegociação de dívidas.

Já em agosto o banco também anunciou uma linha de crédito imobiliário corrigida pelo IPCA, que é o índice oficial de inflação.

A Caixa lidera o mercado de financiamento imobiliário, com 69% de participação. Em 12 meses encerrados em junho, a carteira de crédito habitacional do banco cresceu 3,6%, chegando a R$ 452,3 bilhões.

A nova taxa mínima anunciada, de 6,75% ao ano é a menor do mercado entre os principais e maiores bancos do Brasil, em seguida está o Bradesco que tem taxa mínima de 7,3% ao ano mais a TR e depois, em terceiro lugar no mercado, o Banco do Brasil com taxa mínima de 7,4% ao ano mais TR.

A nova redução de juros abrange os financiamento atualizados pela Taxa Referencial (TR),  a qual está zerada atualmente, porém não atinge as modalidades corrigidas pela variação do IPCA.

A disputa neste mercado de crédito imobiliário está cada vez maior entre os grandes bancos e a boa notícia da disputa por redução dos juros está agradando e muito os clientes.