Descontos do INSS no salário do trabalhador serão alterados após reforma

Aprovada na última terça-feira (22), a reforma da Previdência mudará também o valor das contribuições pagas pelos trabalhadores ao INSS. A estimativa é que nos próximos meses a nova fórmula de contribuição reduza em quase R$ 45 o valor que se é pago à Previdência (para aqueles que ganham R$ 3.000). Quem recebe R$ 5.839,45 (o teto do INSS) ou tem um salário superior a isso irá pagar R$ 40,21 a mais.

publicidade
Descontos do INSS no salário do trabalhador serão alterados após reforma
Descontos do INSS no salário do trabalhador serão alterados após reforma
publicidade

As mudanças estão sendo feitas de acordo com a tabela atual de contribuição. Como o salário mínimo, o teto da Previdência e as faixas de contribuição são reajustados todo início de ano, esses valores deverão mudar, para cima, quando a tabela entrar em vigor.

Atualmente conta-se com três faixas de contribuição. Quem ganha até R$ 1.751,81 contribui com 8% do salário para o INSS — ou seja, até R$ 140,14. Os que recebem de R$ 1.751,82 a R$ 2.919,72 contribuem com 9% (R$ 262,77, no máximo).

Leia também: Aposentadoria INSS: como ganhar o teto da Previdência 

Aqueles que recebem um valor superior contribuem com 11%, mas a incidência da alíquota é limitada ao teto previdenciário. Mesmo que o trabalhador tenha um salário superior a R$ 5.839,45, paga 11% apenas sobre esse valor, que hoje equivale a R$ 642,34.

Para as empresas que contribuem com 20% da folha de pagamento, a reforma da Previdência cria uma nova tabela de contribuição para o trabalhador. Quem ganha um salário mínimo contribuirá com 7,5%. A partir do piso, e até R$ 2.000, a contribuição será de 7,5% a 8,25%. Na faixa seguinte, de R$ 2.001 a R$ 3.000, a incidência será de 8,25% a 9,5%, e a seguinte -de R$ 3.001 até o teto-, de 9,5% a 11,69%.

A partir das modificações, a maioria das contribuições dos trabalhadores serão alteradas. Alguns terão uma diferença de centavos, enquanto para outros a diferença ultrapassará os R$ 40.

Confira a tabela do INSS atualizada:

Valores em R$

 

Descontos do Imposto de Renda no salário

Quanto ao desconto do Imposto de Renda, ele segue obrigatório e feito mensalmente como a contribuição ao INSS. Seu cálculo é feito após o desconto do valor destinado à aposentadoria.

A isenção dos impostos pode ser feita em até R$ 1,9 mil. Além do INSS e do IR, o salários dos trabalhadores com carteira assinada sofrem outros descontos, como coparticipação em planos de saúde e o valor do vale-transporte.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.