Veja como calcular aposentadoria INSS por idade e contribuição. O segurado pode tentar calcular esse tempo observando seus documentos da vida laboral, como carteiras de trabalho, contratos, holerites e extratos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Veja como calcular aposentadoria INSS por idade e contribuição
Veja como calcular aposentadoria INSS por idade e contribuição

A outra opção é usar o sistema de simulação de aposentadoria do INSS, que calcula o tempo de contribuição com base nas informações do Cnis, o cadastro de salários e vínculos de emprego do trabalhador.

Para usar esse sistema, é necessário acessar gov.br/meuinss. Quem ainda não tem o cadastro precisará preencher o formulário, responder a algumas questões e depois registrar uma senha. O acesso é feito por meio do CPF.

Leia também: Aposentadoria por idade pode ser calculada através do MEU INSS

Quem não fizer o cadastro também consegue usar o simulador, mas terá que incluir manualmente os períodos de contribuição, com a data inicial e final de cada vínculo e os salários.

Quando o segurado clicar no comando “simular”, caso ainda não tenha os requisitos para a aposentadoria que escolheu, essa informação será fornecida pelo sistema, que também informará quantos anos estão registrados no extrato de contribuição dele ou quanto tempo ele incluiu no simulador.

O que é Cnis do INSS?

O que é Cnis do INSS? É a sigla para Cadastro Nacional de Informações Sociais, que é um tipo de extrato com todas as contribuições recolhidas em nome do segurado.

Ele é o documento mais importante para a aposentadoria e demais benefícios calculados pelo INSS, pois é com base nas informações lançadas nele que o instituto define se há ou não o direito. O valor do benefício também depende dos valores dos salários lançados nesse cadastro.

O segurado não é o responsável pelo lançamento das informações. O sistema apenas absorve o que foi pago e informado pelo empregador, desde a data de admissão até o encerramento de cada contrato.

Devido à importância desse cadastro para a garantia dos direitos previdenciários dos trabalhadores, o ideal é que o segurado mantenha uma rotina de acompanhar os dados lançados no documento. Essa consulta é possível no site de serviços da Previdência Social, o Meu INSS.

Se identificar algum erro no cadastro, o segurado não terá como fazer a correção imediatamente. O INSS fazia esse ajuste, mas suspendeu a possibilidade para evitar a duplicação de algumas correções. Todo o sistema de informações desses pagamentos é digital, possibilitando, por exemplo, que uma empresa corrija datas e salários a qualquer momento.

De todo modo, o trabalhador que identificar alguma informação errada em seu cadastro deve se preparar para corrigir esses dados quando pedir um benefício, seja ele a aposentadoria ou um benefício temporário, como o auxílio-doença.

Os documentos mais usados na correção desses dados são carteira de trabalho, contratos, holerites, comunicações internas e extratos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Fonte: Geral