Saiba como fazer o preenchimento do carnê do INSS corretamente. Os segurados do INSS que são contribuintes individuais e, portanto, responsáveis pelos próprios recolhimentos, têm disponíveis duas maneiras de manter esses pagamentos em dia.

É possível emitir uma guia no site do instituto ou preenchê-la manualmente. Essa última pode ser tanto a guia disponível para impressão no site do INSS, quanto os carnês vendidos em papelarias.

Para usar o sistema que calcula o valor a ser pago e gera a guia de pagamento, o trabalhador deve acessar www.inss.gov.br/servicos-do-inss/calculo-da-guia-da-previdencia-social-gps/.Será necessário informar o NIT, que é o código pelo qual o segurado é identificado no INSS. É o mesmo número do PIS e costuma estar anotado na carteira de trabalho.

Em “Categoria”, o sistema automaticamente identificará como “contribuinte individual”, mas se o recolhimento for, por exemplo, de um contribuinte facultativo, será necessário alterar. Depois, é preciso reproduzir o código de segurança e clicar em “Confirmar”.

Em “Competência”, informe o mês a que o pagamento se refere. Se o pagamento é do mês que acaba de terminar, por exemplo, agosto, informe 08/2019. Informe o salário e clique em confirmar para gerar a guia.

Quem optar por preencher a própria guia deve ficar atento ao preenchimento, de modo a evitar dor de cabeça futura com eventuais erros.

CAMPO 1 – Nome do contribuinte, telefone e endereço

CAMPO 2 – Data de vencimento

CAMPO 3 – Código de pagamento

CAMPO 4 – Competência (mês/ano de referência do recolhimento no formato MM/AAAA)

CAMPO 5 – Identificador: número do NIT/PIS/PASEP do contribuinte

CAMPO 6 – Valor devido ao INSS pelo contribuinte

CAMPO 11 – Total: Valor total a ser recolhido ao INSS  O INSS recomenda que a guia em carnê seja sempre preenchida em duas vias. A primeira via pode ficar com o banco e a outra deve ficar com o segurado. É importante guardar esse papel, pois ele será a comprovação do recolhimento

Fonte: Agora