Categorias: Direitos & Benefícios Últimas Notícias

Guedes sugere mudanças no seguro desemprego e abono salarial

O ministro da Economia, Paulo Guedes, estuda reformular as despesas que hoje seguem vinculadas ao salário mínimo. Por exemplo, o seguro desemprego, abono salarial e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A proposta do ministro é trazer para esses direitos um valor fixado que não se altere a cada novo acréscimo no piso nacional, e que os reajustes sejam feitos apenas em benefícios do INSS.

A medida faz parte das mudanças que Guedes analisa para desobrigar e desvincular o Orçamento público. Depois da aprovação da reforma da Previdência no Senado, que deve acontecer nos próximos dias de outubro, o ministro deve encaminhar para o Congresso Nacional o chamado pacto federativo. Um projeto que pretende alterar o Orçamento e trazer flexibilidade de recursos para estados e municípios.

Os benefícios sociais definidos conforme a expectativa do governo faria com que o valor ficasse abaixo do salário mínimo, já que todos os anos o piso é reajustado e os programas ficariam estagnados. Hoje, qualquer benefício do INSS não pode ser menor do que o piso, essa quantia atende pelo menos 60% dos segurados e faz parte de regras estabelecidas no funcionamento de créditos como estes.

Caso siga para votação, a medida pode ter muitas oposições. Para ser uma ideia, na reforma da Previdência foi sugerido que a pensão aos familiares de segurados falecidos fosse menor que 1 salário mínimo, em casos específicos. Os senadores não aprovaram e muitos deputados foram contra as medidas, embora tenha sido reformulada, a pensão por morte não será menor que o piso.

O mesmo aconteceu com o abono salarial, a reforma também previa alteração no público beneficiado concedendo o crédito para aqueles com rendimento até R$1.364,43, os senadores também não aprovaram a alteração e o PIS e PASEP permanecem sendo pagos para trabalhadores com ganho de até dois salários mínimos.

Com essas mudanças o objetivo do governo é diminuir os gastos que são considerados obrigatórios, pois estão indexados ao Orçamento. Hoje, 94% das despesas federais são de caráter obrigatório, o que prejudica os espaços pra investimento em outros setores que também são importantes.

Últimas Notícias

  • Direitos & Benefícios
  • Últimas Notícias

Aposentadoria por idade pode ser calculada através do MEU INSS; saiba como fazer

Aprenda a utilizar a Calculadora disponibilizada pelo INSS para verificar Aposentadoria por Idade. Na era da transformação digital, o INSS…

2 dias ago
  • Direitos & Benefícios
  • Últimas Notícias

Dados errado podem causar suspensão de Auxílio Doença do INSS; Veja como evitar

INSS pode suspender o Auxílio Doença por conta de divergência cadastral, confira. O Governo do Brasil anunciou a suspensão de…

2 dias ago
  • Direitos & Benefícios
  • Últimas Notícias

Minha Casa Minha Vida: Sem verba, Governo vai limitar acesso ao programa

Governo estuda restringir acesso ao programa Minha Casa Minha Vida, entenda. O ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou que…

2 dias ago
  • Renda
  • Últimas Notícias

Mesmo após saque, FGTS ainda pode ser usado no Minha Casa Minha Vida

Utilize seu FGTS para dar entrada no programa Minha Casa Minha Vida. Liberação do saque imediato de parcela de até…

2 dias ago
  • Direitos & Benefícios
  • Últimas Notícias

Policiais terão prioridade no Minha Casa Minha Vida

Policiais civis e militares podem ser incluídos nos grupos que têm prioridade para aquisição de imóveis através do programa “Minha…

2 dias ago
  • Direitos & Benefícios
  • Últimas Notícias

Minha Casa Minha Vida completa 10 anos e números são estrondosos

Veja a diferença no programa Minha Casa Minha Vida nestes últimos 10 anos, desde a sua criação. Com cerca de…

2 dias ago