Se você trabalha por intermédio da CLT, provavelmente já deve te ouvido falar no abono salarial. Esse direito permite o pagamento de um valor importante que fica disponível para alguns trabalhadores.

O saque do benefício deve ser realizado dentro do prazo estabelecido pelos órgãos responsáveis. Se você deixou de sacar o abono dentro da data divulgada, saiba o que pode acontecer com o seu direito a seguir:

O que é o abono salarial?

Quem trabalha com a carteira assinada tem acesso a alguns direitos bem importantes. Um desses direitos é o abono salarial, que permite o pagamento de até um salário mínimo para os trabalhadores que tem direito ao saque.

O abono é um dos direitos que chamamos de proporcionais, pois o mesmo é equivalente aos dias de serviço prestados pelo trabalhador, podendo chegar a até um salário mínimo.

É interessante enfatizar que este benefício é proporcionado por dois programas diferente. Um deles é o Programa de Integração Social (PIS), que é responsável pelos trabalhadores da rede privada.

O Programa de Integração Social é pago em lotes e os beneficiários que tem direito a receber, devem estar atentos ao calendário PIS 2020.

A outra opção que dá acesso ao abono salarial é o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), que é responsável pelos servidores públicos. Quem tem direito ao saque deve acessar o calendário PASEP 2020.

O que acontece se o abono não for sacado?

O abono pode ser pago através do PIS ou do PASEP, e por isso, o beneficiário precisa estar atento aos calendários de pagamento do direito de acordo com a sua categoria de serviço.

É preciso estar atento aos prazos para não perder o saque do benefício. Mas o que acontece quando o servidor deixa de realizar o saque do abono salarial?

De acordo com o Ministério do Trabalho, os trabalhadores que perderam a data de pagamento do PIS/PASEP ficam com o abono salarial retido.

Isto porque, quando o saque não é retirado dentro do prazo estabelecido pelos órgãos, ele é devolvido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Em alguns estados, é possível sacar após a data prevista pelo calendário do benefício, quanto há um prazo estendido a fim de aumentar o número de saques do abono.

Quando isso não acontece, o trabalhador que está com o abono retido só consegue ter acesso ao seu pagamento através de uma ação judicial, sem previsões exatas.