A Universidade Federal do Paraná (UFPR) informou que pelo 34 mil alunos da instituição deixarão de estudar esse ano se o corte de verbas na Educação for mantido pelo governo. Caso a universidade receba o investimento prometido até o fim de setembro, a direção acredita que conseguirá manter as matrículas ativas.

Neste ano o Ministério da Educação (MEC) recebeu dois contingenciamentos, uma manobra para superar a atual crise econômica do país. No entanto, instituições públicas como a UFPR foram obrigadas a modificar o seu atendimento.

A universidade tem hoje 28 mil estudantes inscritos na graduação e outros 6,2 mil que cursam pós graduação. Além do oferecimento de especialização, mestrado e doutorado.

Em março o MEC recebeu bloqueio de $5,8 bilhões e em abril foram 30% congelados nas universidades e instituições federais. Na época, a promessa era de que caso a economia voltasse a crescer o valor seria desbloqueado. No último dia 20 de setembro o governo federal anúncio o envio de recursos para os ministérios, dos $8,3 milhões pelo menos $1,99 milhões seriam para educação.

Na nota oficial do MEC divulgado pelo portal G1, o órgão diz que em 2 de setembro a UFPR recebeu $10,9 milhões em limite de empenho. “Dessa forma, este Ministério, após efetuar liberação orçamentária, não possui ingerência sobre os processos de pagamentos que estejam a cargo de suas unidades vinculadas”, diz um dos trechos da nota.