Durante o seu pronunciamento no Plenário nesta segunda-feira (23), o senador Paulo Paim (PT-RS) solicitou aos demais senadores que não aprovem a emenda no texto da reforma da Previdência (PEC 6/19) em que se extingue a aposentadoria especial para trabalhadores que atuam em áreas de risco. O discurso veio junto com a parabenização ao Dia Nacional do Agente de Trânsito, comemorado neste dia 23 de setembro.

Paim explicou que com a legislação atual, trabalhadores que prestam serviços como vigilantes, eletricitários e guardas municipais, podem se aposentador com 25 anos de contribuição. E contesta o novo texto, que segundo ele, vai acabar com essa medida.

“Se colocarmos um, dois ou três dependentes na família, chegaremos a mais de 100 mil pessoas que serão prejudicadas de forma direta, só nessa categoria dos profissionais de trânsito. Se pegarmos os vigilantes, são mais de 4 milhões de pessoas no país. Calculemos também aí os guardas municipais, os eletricitários e quem trabalha em áreas consideradas de alto risco. Chegaremos rapidamente a mais de 20 milhões de pessoas”, defendeu o senador.

Inicialmente o texto base seria votado na manhã desta terça-feira (24) na Casa, mas por decisão do presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a data foi prorrogada para amanhã (25). Hoje, deputados e senadores discutirão o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO).

Embora Paim tenha solicitado a ajuda dos companheiros do Legislativo para alterar a proposta, dificilmente isto acontecerá. Já que a maioria dos senadores se mostraram favoráveis a consolidação da reforma, aprovação do texto base e sancionamento ainda para esse ano. Qualquer alteração retrocederia o cumprimento do calendário, fazendo com que o texto retornasse aos deputados.