Quadrilhas têm aproveitado a liberação parcial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para aplicar golpes em trabalhadores. Conforme divulgou a página Tudo Golpe, do UOL, os bandidos conseguem ter acesso aos dados pessoais de funcionários recém demitidos e por telefone prometem agilizar o tempo de espera nas filas. Combinando com a vítima o dia, local e horário de saque, os bandidos realizam o assalto na saída do banco.

Os bandidos têm preferido trabalhadores que atuaram por longos anos em uma mesma empresa, logo podem ter um valor maior no fundo de garantia. Eles deduzem o saldo disponível e quando falam sobre a quantia, as vítimas podem acreditar. Inclusive, passam dados pessoais do trabalhador a fim de trazer mais veracidade para a ligação.

O primeiro ponto para ficar atento é entender que a Caixa não faz ligações telefônicas para tratar sobre o assunto, principalmente de centrais telefônicas. As agências e seus gerentes podem sim entrar em contato, mas já têm um grau de relação com os clientes.

Também é interessante seguir as dicas de:

  • Caso receba qualquer tipo de ligação neste sentido, informe a polícia;
  • Compareça ao banco para solucionar todas as suas dúvidas;
  • Nunca passe número do cartão ou senha para terceiros;
  • Prefira transferir o dinheiro para sua conta a sacar o valor integral;
  • Esteja sempre acompanhado na saída dos bancos, principalmente aposentados que são as maiores vítimas;
  • Certifique-se de que não está sendo seguido, e se perceber alguma situação diferente procure a polícia.