No último fim de semana, foi lançado sobre as instalações de produção de petróleo da Arábia Saudita drones que incendiaram os locais, os responsáveis são rebeldes de um grupo terrorista. Embora estas sejam questões políticas internas do país, todo o mundo acabou sofrendo com o ataque. No Brasil, o portal O Globo acredita que a gasolina e o diesel tenham acréscimo de 10% nas próximas semanas.

Isto acontece devido a cotação do barril já ter ultrapassado U$70. Para se ter uma ideia da dimensão deste índice, na última segunda-feira (16) o mercado de Londres aumentou praticamente 20% o preço do barril, chegando a U$72. O maior registro desde a Guerra do Golfo que aconteceu em 1991.

Além de receber influência da cotação internacional do Petróleo, o combustível também é baseado no câmbio. Este acidente afetou em 5% do fornecimento do petróleo em todo o mundo, já que a Arábia é a responsável pelo abastecimento de 10% mundial, e precisou cortar pela metade sua produção.

A previsão é que o acréscimo nas contas sejam de 8% a 10% dentro das refinarias, e que os brasileiros enxerguem essa mudança nas semanas seguintes. A Petrobrás deve trabalhar para encontrar a melhor solução sobre o preço do petróleo que está aumentando e vai influenciar diretamente na produção de gasolina, além da valorização das suas ações que podem cair.

Em entrevista concedida ao portal Gauchazh, o economista da gestora de fundos Quantitas, João Fernandes, acredita que esse cenário vai resultar para os consumidores de +2,5% a +3% na bomba dos postos de combustível.