No mês de julho deste ano, a revista eletrônica The Hack divulgou uma reportagem sobre o vazamento de dados bancários dos clientes brasileiros, a maioria do Banco Pan, até o ano de 2013, a rede era chamada de Panamericano. Inclusos desde esse período, foram pelo menos 245 GB de informações com 1,2 milhões de dados pessoais como RG, CPF, CPF, CNH, comprovantes de residência e de serviços bancários.

Por conta disso, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) decidiu investigar este que pode ser considerado como o maior vazamento digital da história do país. Ainda de acordo com a revista The Hack, o erro veio de servidores de armazenamento da Amazon.

Em sua defesa, o Banco Pan alega que não constatou nenhum tipo de invasão em seus sistemas de segurança e por isso, o acontecimento foge do seu alcance de propriedade. O banco afirma ainda, que o recebimento de informações cadastrais dos seus cliente são providos de parceiros comerciais e que quando encontra algum erro, toma as medidas cabíveis. O Pan tem pelo menos 600 correspondentes bancários e mais de oito mil concessionárias de veículos parceiros no país.

Aos clientes da instituição é recomendado trocar senhas de acesso a fim de evitar golpes e fraudes. E caso encontre algum tipo de erro nas informações, o agenciado deve entrar em contato com sua agência imediatamente.