Em pronunciamento feito na última quarta-feira (4), o ministro da Cidadania, Osmar Terra, se posicionou a respeito de um estudo que a equipe econômica encomendou ao Ipea e que informa possíveis modificações no programa Bolsa Família. Entre eles, a ampliação do benefício que atualmente atinge 13,8 milhões de brasileiros, em contra partida ao fim de deduções do Imposto de Renda (IR) e abono salarial concedido às pessoas de baixa renda.

Segundo o portal O Globo, que teve acesso ao documento com essas informações, também foi inclusa a possibilidade de criar um benefício universal com o pagamento de R$45 para as crianças e adolescentes. O ministro disse não concordar com essa alternativa, e afirmou que a criação dessa renda deveria passar por análise e experiência da pasta.

“Essa questão da renda universal para todas as crianças independentemente da faixa de renda é absurda. Dar R$ 45 por mês para crianças de classe média não tem sentido”, acrescentou o ministro.

Os estudos realizados pelo Ipea funcionam como um possível ponto de partida do governo federal, mas ainda é um projeto preliminar. Osmar Terra reconhece a necessidade da criação de novas medidas para o Bolsa Família e sugeriu, por exemplo, limitar benefícios por município evitando variações em épocas de campanha política.

Para finalizar, o ministro afirmou que para 2019 não serão feitas modificações dentro do funcionamento do programa e a ideia é focar na concessão do 13° salário. De acordo com Terra, o presidente Jair Bolsonaro vai anunciar até o fim desse semana o pagamento do 13° aos beneficiados.