O Bolsa Família é um programa do governo que colabora com a renda mensal das famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social. São pelo menos 13 milhões de contemplados com o benefício, segundo o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS). Devido ao valor reservado para esse fim, cerca de R$13,8 milhões por mês, as indagações sobre o uso do dinheiro público são frequentes. Junto com a lei de criação do programa também está inclusa a consulta pública dos valores creditados.

Os interessados em saber como os recursos são utilizados em seu estado, município e no país de forma geral, podem acessar o Portal da Transparência ou o Sibec página disponibilizada pela Caixa Econômica Federal, responsável pelos pagamentos. Na lista, o internauta encontra informações sobre o valor encaminhado por município no mês de consulta.

A página tem acesso gratuito e navegação bem simples, disponibilizando a busca detalhada conforme as escolhas. O filtro possibilita o acesso por período, estado, município e família. Além da opção de impressão dos dados disponibilizados para postagem e publicação para acesso geral dos munícipes.

Não existe valor máximo pago pelo programa, a média é de R$89,00 por pessoa e adicionais conforme a composição do núcleo familiar. Por exemplo, número de crianças, gestantes, lactantes e adolescentes, que podem ser inclusos na quantia paga mensalmente para as famílias.

Periodicamente, o MDS cruza as informações disponíveis no Cadastro Único que funciona como um banco de dados sobre os brasileiros de baixa renda, e os demais sistemas públicos e particulares que têm acesso as informações socieconômicas. E caso encontre alguma convergência, pode suspender ou cancelar o benefício do titular, por conta de informação fajuta sobre renda mensal e número de pessoas que fazem parte da família.