A quantia varia conforme informações sobre as famílias contempladas, e por isso, acaba não sendo compreendida por todos os cadastrados.

Durante os 12 meses do ano, o Governo Federal juntamente com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), realizam os pagamentos das mais de 13,7 milhões de famílias contempladas pelo Bolsa Família. Os valores variam, mas geram em investimento no programa R$15 bilhões todos os anos. Uma renda extra destinada as pessoas que vivem em situação de pobreza e extrema pobreza.

Quando realiza sua inscrição no Cadastro Único, o titular do benefício deve informar uma série de especificações sobre a sua família. Como: número de pessoas que compõem o grupo familiar, quantas são crianças, gestantes, qual a renda mensal e a escolaridade de cada um.

Com base nessas informações, o sistema informatizado do Bolsa Família seleciona os contemplados e define qual valor deve ser pago. O mínimo é de R$89,00 por pessoa, e não existe um limite máximo. No entanto, dificilmente a quantia vai ultrapassar meio salário mínimo.

Além do valor pago por indivíduo, ainda existem as rendas variáveis. Isto é, que não são fixas porque caminham conforme as características de cada pessoa. Por exemplo, adicionando R$41,00 por criança de 0 a 15 anos, por gestante, e pago as famílias com bebês entre 0 e 6 meses.

O MDS, a Assistência Social do município ou a equipe de CRAS e CREAS, não fiscalizam como o dinheiro está sendo utilizado. O titular, e chefe da família, pode utilizar a renda extra para compra de alimentos, material escolar, remédios, roupas ou lazer.

No entanto, para continuar recebendo o benefício é preciso cumprir com algumas obrigações. Como mantendo a frequência escolar das crianças de 6 a 15 anos, tendo em dia a carteirinha de vacinação de cada uma delas. E atualizando os dados cadastrais no ponto de atendimento do Bolsa Família.

Periodicamente o sistema de dados do Cadastro Único cruza informações com outros bancos de dados disponíveis no país. E caso verifique que as famílias aumentaram sua renda, por exemplo, o benefício pode ser cortado, bloqueado ou suspendido. Por isso é importante prezar pela pela verdade.