A história da Maria Fumaça

Autor: Elvira Drummond:
Licenciada em Artes, bacharel em piano e mestre em Literatura, Elvira Drummond, ministra cursos, seminários e conferências em várias cidades brasileiras. Professora da UFC é autora de obras didáticas para piano, coro infantil e musicais. Entre suas obras estão Bonequinho de Mel, um conto cantado do folclore brasileiro, O Canto do Passarinho Carrancudo, para canto e piano e Os Quatros Músicos, para coro infantil com apoio instrumental. Ao publicar agora A história da Maria Fumaça, ela resgata a fogueira, desde um passado remoto, quando era utilizada para comunicar um fato importante, até os dias atuais, quando é acesa para alegrar as festas juninas.

Ilustradora: Elane Oliveira
Graduada em Artes Visuais e em Design Gráfico, Elane Oliveira tem trabalhos gráficos, desenvolvidos em editoras, agências de publicidade e em audiovisual. Tem oito livros publicados, sete deles infantis, entre os quais O boneco de Pedro Boca Rica, Detestinha e O sonho de Luís - feito em parceria com a escritora Mara Monteiro para o Programa Alfabetização na Idade Certa, do Governo do Ceará. A história da Maria Fumaça é considerada por ela a mais diferente que já fez, com personagens em forma de fumacinhas engraçadas, contando como os homens usavam a fumaça para se comunicarem e como se divertem até hoje diante da fogueira de São João e do colorido das bandeirinhas.

Sinopse: 
Filha de Dona Fogueira e do Senhor Fogaréu, Maria Fumaça nos conta em versos a evolução dos meios de comunicação. Utilizada no passado, quando ainda não havia telégrafo, telefone, nem Internet, era a fumaça, em forma de sinais, que transmitia informações entre os povos de várias raças. Nos tempos atuais, ela permanece viva como um dos ícones da cultura popular, e reaparece anualmente quando são acesas as fogueiras das festas juninas.

Compartilhar